Posts

O quanto é importante a Gestão de Carbono para uma Smart City?

Participei do evento Connected Smart Cities 2022 em São Paulo nos dias 4 e 5 de outubro, e foi muito bom entender o ponto de vista de vários profissionais de diversas áreas, onde estão trabalhando para cada vez mais para melhorar a gestão em desenvolvimento de tecnologia, mobilidade, saúde, bem estar e sustentabilidade nas cidades do futuro

Foi muito debatido a implantação de tecnologia 5G para as cidades, tornando-as mais rápidas em processamento de dados, como acessos aos sistemas inteligentes integrados a mobilidade urbana, saúde, monitoramento de vias públicas, segurança, guia de turismo e entre outros. Também foi muito discutido como melhorar a mobilidade urbana criando alternativas sustentáveis com a construção de mais ciclovias/ciclofaixas para uso de bicicletas. Outro ponto foi o incentivo de dispositivos públicos para carregar sua moto elétrica, bicicleta elétrica e carros elétricos com energia gerada por painéis solares. Em cidades grandes a expansão de estações e linhas férreas de metrô e trem. Esses foram alguns dos fatores importantes abordados, que segundo os palestrates comprovam que a cidade é inteligente e conectada.

Outro assunto apresentado foi a gestão de resíduos e a destinação correta para vários tipos de resíduos gerados pela população, empresas, hospitais e entre outros. Algumas soluções foram discutidas como o aumento de Implantação de cooperativas para triagem e processamento dos resíduos que possam ser reciclados ou reutilizados de alguma forma, assim tornando seu descarte efetivamente correto, a fim de diminuir o impacto ambiental.

Na minha opinião, achei que faltou debater mais sobre um assunto muito importante da atualidade para mitigação das mudanças climáticas, que é a gestão das emissões de carbono (termo simplificado para os gases causadores de efeito estufa) da cidade como um todo, além de práticas de captação das águas pluviais e instalação de painéis fotovoltaicos que foram  abordados com maior ênfase. A gestão de emissão de carbono para cidades é uma pauta na agenda de sustentabilidade ambiental internacional e abrange as construções, principalmente as novas construções, como edifícios, residências, infraestrutura e entre outras construções que contemplam a expansão e manutenção das cidades. Tendo em vista que hoje as principais emissões de carbono são provenientes da construção civil, que chegam a aproximadamente 40% das emissões globais totais, este tema deveria também fazer parte da programação de eventos que tratam de Smart Cities.

Discussões sobre mudanças no uso de solo e emissões ao desmatar para construir foi algumas das pautas discutidas sobre gestão de carbono na Smart Cities, porém nada diretamente relacionado às construções, que têm crescido cada vez mais. Nos últimos 35 anos aqui na região Sudeste foram construídos 31,5 milhões de moradias como mostra neste artigo da Triider com informações coletadas pela base de edições anuais da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD) do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Gostaria de citar o exemplo do plano “Zero carbon buildings for Melbourne” na Austrália, que contempla um programa de descarbonização para as cidades inteligentes, engajando mais de 65 empresas stakeholders e especialistas na área, que  revisaram estudos acadêmicos e determinaram sete iniciativas para tornar as construções existentes em zero carbono. Atualmente as emissões de construções na cidade de Melbourne são de até 66%. Esse plano visa atingir a meta de cidade zero carbono até 2040 para construção de novos edifícios e existentes, dessa forma incentivando a descarbonização no setor da construção.

Hoje a eTool está preparada para atender a essas metas de descarbonização para cidades, através de estudos de projetos específicos em conjunto com infraestrutura. Entendendo a pegada de carbono, calculando o quanto a cidade emitiu aproximadamente com as construções já existentes e como poderá melhorar nos próximos anos, simulando cenários com melhorias de reduções das emissões que poderão ser implementadas, além de estar alinhado com as metas globais de redução carbono segundo o tratado da COP de Paris e assim ajudando as cidades a serem principalmente de baixo carbono.

Estamos engajados com o compromisso de ajudar os profissionais do setor da construção civil, sejam eles do poder público ou iniciativa privada a tornar as cidades mais inteligentes e conectadas, e fornecer solução para calcular o impacto ambiental com o objetivo de reduzir ou atingir o zero carbono.